23 de agosto de 2010

E então que depois de falar sobre a saudade que me tomou por inteira neste fim de semana de impossibilidades é preciso ressaltar: tenho o melhor filho do mundo. 

Um parceiro de verdade, companheirinho de todas as horas. Que sabe respeitar o meu tempo e espaço, que fica juntinho abraçado se eu não consigo despistar a tristeza. Que não se ofende por isso, não pensa bobamente que pode ser com ele. Apenas me pede para ter calma e me da colo, como um grande cavalheiro. 

Juan é mais que uma criança. é um serzinho iluminado, que me acompanha para onde eu for. Lindo, atento, perspicaz e desperto pra vida, pras coisas dela, pra tudo em volta. O seu carinho é um acalento. as suas mãozinhas enxugando minhas lágrimas, um beijinho no olho e a constatação do salgado. Ele me faz rir mesmo quando tudo esta perdido, me faz entender que sempre há saídas, que a tristeza vem e passa e que ele sempre está alí. 

Me sinto uma privilegiada. E no final das contas, eu só tenho a agradecer. Por ter tanto amor dentro de mim , por aprendr a senti-lo. Por ter dois meninos e por ser tão amada por eles também. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra a boca e mostra a língua!