26 de fevereiro de 2010

Motivos contudentes para casar com um jornalista

Ah! essa eu achei ótima e me identifiquei horrores! Da próxima vez que um peixe morder a minha isca, vou já lhe apresentar esses 'motivos' pra ele não fugir antes da hora! Não sei quem fez, mas tirei daqui. Confira:


1. Jornalista geralmente é criativo, ele vai surpreender você quando menos esperar;

2. São curiosos e antenados, você sempre ficará por dentro de tudo que acontece;

3. Eles não ganham bem, mas isso é bom porque vocês podem aprender a economizar dinheiro;

4. No Natal, Ano Novo, Carnaval… eles provavelmente estarão na redação. Mas, pense pelo lado positivo: antes trabalhando do que vagabundando;

5. E outra! Trabalhando muito, eles não têm tempo de se interessar por outra pessoa;

6. Eles não são bons de matemática, mal sabem somar e subtrair; mas, para que saber isso se são os mestres da escrita?;

7. Acostumados com pautas, são bem organizados e planejam bem as coisas antes de fazê-las;

8. Como é fissurado por fontes, quando você tiver uma ótima idéia, não vai dizer aos amigos que foi coisa da cabeça dele. Dará todas as honras para você!;

9. Como vivem numa rotina corrida, não tem muito tempo para opinar nas coisas da casa. O que você fizer, ele vai achar lindo;

10. Tudo é um grande brainstorm (tempestade de ideias). Monotonia não vai entrar na sua casa!;

11. Quando vocês brigarem, ele não vai achar que a opinião dele é a melhor. Tem que ouvir todos os lados de um fato, ele saberá analisar a situação!;

12. Em coberturas de grandes eventos, você poderá entrar de gaiato. Cada final de semana em um lugar diferente: jogos de futebol, avenida de escola de samba, lançamento de livros…;

13. Mantêm revistas e jornais no banheiro. Você nunca ficará olhando para o vácuo enquanto faz suas necessidades fisiológicas. Ganhará conhecimento!;

14. Idolatram pessoas totalmente desconhecidas (o seu Zé, a Dona Maria, o Juquinha…) Todos com ótimas histórias de vida que vocês podem usar no cotidiano também para se tornarem pessoas melhores!;

15. Não vai faltar café na sua casa. Café e jornalista são praticamente sinônimos;

16. Ele pode escrever os votos matrimoniais da sua irmã, criar o conteúdo do site de negócios do seu pai, ensinar sua mãe a tirar fotos das amigas nos eventos do bairro. Ele aprende de tudo um pouco e gosta de compartilhar!;

17. Tudo para o jornalista tem uma explicação. Eles nunca vão se contentar com a primeira versão de um fato. Você sempre terá uma resposta, mesmo que demore;

18. São ótimos investigadores. Se alguém no trabalho passar a perna em você, rapidinho ele descobre quem é!;

19. Como trabalham muito, não tem tempo para beber demais, fumar, se envolver com drogas… Você terá um companheiro saudável!;

20. Tá bom, vai… eles não costumam comer coisas muito saudáveis. Mas se você for legal e fazer comida para ele levar ao trabalho, isso se resolve rapidinho, não é? =);

21. Suas viagens nunca serão monótonas! Se acontecer qualquer movimento estranho, ele vai logo querer saber o que é e infiltrará você junto para desvendar o problema;

22. Amam roupas leves e simples no dia a dia. Você não vai gastar muito dinheiro com isso;

23. Mas também sabem se arrumar bonitinhos para os eventos. Você terá um parceiro que sabe ser simples, mas também sabe arrasar. Tudo vai depender da ocasião;

24. A agenda é o seu melhor amigo. Mas, não fique com ciúmes! Pense pelo lado positivo, nunca vai esquecer nenhuma data importante, porque tudo fica rigorosamente descrito lá;

25. Eles não ficam irritados com “nãos”, afinal, estão acostumados com assessorias de imprensa que não querem divulgar os bafões. Você não terá um companheiro irritado, mas, em compensação ele não vai desistir até conseguir o que quer. Mas só de não se grosso já vale, não é!?;

26. Como são antenados, também sempre ficam sabendo das novidades tecnológicas primeiro. Às vezes, até ganham de presente para testar a ferramenta. Você terá tudo em primeira mão na sua casa;

27. Eles não se importam com calor, chuva, trovões… afinal, precisam estar onde a notícia está! Você poderá ir na praia com 50 graus tranqüila ou aquela viagem dos sonhos pode se tornar um pesadelo no caos de São Paulo que ele não vai blasfemar. Ainda vai dar risada da situação;

28. Acham que podem salvar o mundo com uma matéria. Olha que sensibilidade!;

29. Eles sempre sabem tudo todo o tempo;

30. Gostam de música para acalmar;

31. Leem livros raros, histórias para crianças e semiótica… Seus filhos serão super dotados se depender dele;

32. Sua vida social é infinitamente grande. Você nunca poderá reclamar que não conhece gente nova;

33. Eles estão acostumados com coisas chatas e sabem contorná-las muito bem. O casamento nunca vai virar algo monótono;

34. Eles gostam de camisas com estampas de alguma brincadeira sobre algo atual. Suas amigas vão ficar com inveja do seu companheiro inteligente;

35. Eles sempre têm uma opinião sobre qualquer coisa na face da Terra. Durante uma conversa entre amigos, vocês nunca ficarão apagados;

36. A maioria gosta de virar psicólogo, técnico de futebol e médico às vezes. Você terá um companheiro mil e uma utilidades;

37. Por causa da profissão, são forçados a aprender mais de um idioma. Você vai ouvir “Eu te amo” em, pelo menos, umas três línguas diferentes;

38. A primeira coisa que seu filho vai aprender é que a informação é a alma do negócio. Com dois anos, sua fofurinha vai saber o que é aquecimento global, mercado financeiro e já saberá criticar políticos;

39. Gostam de mudar de cidade, estado e até de país. Você conhecerá muitos lugares!;

40. Assistem documentários e vão a museus o tempo todo, não importa o que seja. Ô cultura!

bê bê bê

Para constar: nunca pensei que fosse um dia assistir o big brother e me divertir tanto. As cenas da cacau e seu boy musculoso e sem cérebro são as melhores. Serginho de franjinha de chapinha, nem se fala. A baiana que rebola a bunda na cara de todos da casa, no coments. E o cebolinha "dlag", um luxo!

Só me espanta esse povo que vota - mais de 70 milhões de pessoas - achar bacana um cara bocó que ameaça bater em mulher e ainda tem a mentalidade de quem ainda acredita que só homos têm Aids - ou pior, que heteros não têm - e mantê-lo na casa.

Ê brasilsão de meu deus!

Jornalismo X Ilusionismo

"Jornalismo não é Ciência exata. Jornais erram. Jornalistas erram. Erros admitidos e reparados, tocamos em frente. Às vezes o erro tem consequências gravíssimas, como no caso paradigmático da Escola Base. O famoso "espírito de manada" muitas vezes contribui para que pecados originais de pequena dimensão se agravem. O espírito de manada funciona assim: por decisão superior ou por interesse próprio, um jornalista decide "repercutir" uma notícia que dá como fato, sem fazer a confirmação independente daquela informação. Corre o risco de repercutir o erro. De ampliar o erro. De reproduzir a premissa falsa. Já vivi essa situação, "repercutindo" reportagens da revista "Veja", na TV Globo: é como se você validasse um bilhete premiado sem ter tido a oportunidade de confirmar antes a premiação.

Assim se deram algumas das grandes "crises" que o Brasil enfrentou desde que o governo Lula se instalou no poder, como o "caos aéreo", a "epidemia de febre amarela" e a "gripe suína". Má fé, incapacidade técnica, preguiça, preconceito ideológico e a crença de que a mídia deve ser "de oposição" a qualquer custo, mesmo que ao fazer isso atropele a verdade, levaram a mídia corporativa a exagerar, distorcer ou repercutir acriticamente informações que, mais tarde, se demonstrou serem exageradas ou simplesmente fictícias".

Trecho do artigo Assim é se lhe parece.


E tem mais. Para ler o texto na íntegra, clique AQUI.

25 de fevereiro de 2010

E não é que Juan contou mesmo os dedos do prefeito?

Aqui

A palavra sacrifício

"A palavra “sacrifício” é geralmente mal compreendida. As pessoas a associam a algo “ruim”, justamente porque vivemos numa sociedade que valoriza o fácil, que estimula o comportamento preguiçoso. No entanto, esta palavra nasce da união dos termos “sacro” e “ofício”, ou seja, “trabalho sagrado”. Muitas vezes nos vemos em posição de impotência e somos levados a sacrificar alguns sonhos e a entender que, por mais poderosos que sejamos, existem circunstâncias em que simplesmente nada ou pouco podemos fazer. O Homem Pendurado emerge então como carta conselheira do Tarot para este momento de sua vida, sugerindo a necessidade de cultivar a espera e entender que a impotência é, antes de tudo, uma lição de humildade. Tudo passa e você certamente se abrirá a tempos melhores no futuro, sentindo que seus planos (no momento paralisados) fluirão a contento", me alertou o Personare.

Nunca tinha antes analisado a palavra em seu sentido etmológico. Taí, gostei da descoberta....

Uivos literários

Acho que já contei antes que me aposentei dos contos eróticos né? Foi bom enquanto durou, mas chegou a hora de pendurar as chuteiras. Então, para aqueles que quiserem relembrar os momentos e para aqueles que querem conhecer as travessuras, aqui está o caminho.

Se vale opinião, eu gosto mais dos primeiros.
Bom gozo!

24 de fevereiro de 2010

Eu, vc, João, girando na vitrola sem parar...


É assim que vou passar o fim de semana. Mas quer saber, eu gosto. Nasci proletária, é o que me dizem. Mas eu não é que goste de trabalhar e ponto. Não é assim. Eu gosto de fazer coisas que gosto. Tipo escrever, desenhar, editar textos... saca? tudo muito seletivo.

Como ultimamente meu ganha pão tem sido assessoria, é imprenscindível para o bom andamento da minha sanidade mental que eu tenha bons freelas, que me permitam respirar outros ares, sobretudo, os ares culturais. São coisas que deixam a gente arrasada de cansada, mas feliz no final. Bem diferente do que me sustenta por agora...

Me senti assim no carnaval. Já no domingo eu não conseguia nem andar direito, de tanta dor nos pés. mas eu saía radiante de casa...

Aqui eu consegui algo que desejava muito há muito tempo: a minha casa, o meu espaço. E, como estava comentando outro dia, o engraçado é que esse espaço era desejado por inúmeros motivos e um deles, um dos mais importantes na verdade, era encher esse espaço de amigos. Mas que ironia: os amigos ficaram na outra cidade... Mesmo assim - obeserve como sou reclamona mais que tudo - alguns já vieram aqui me visitar, rompenso barreiras e mostrando, mais uma vez, que nenhuma estrada é capaz de separar as almas.

Hoje eu recebi uma ligação de Madri. Direto para Alagodé, as mais lindas declarações de amor, o divã, as certezas de um carinho imenso que vencerá eternamente todo e qualquer obstáculo, prevalescendo, sempre. Então eu vejo que vale a pena né, tanta luta...

Na minha vida de mãe solteira, não sobra dinheiro no final do mês e quase todo o meu salário tem destinos mais certos que o trajeto que faço de casa para o trabalho. Mas quando Juan me acorda de manhã com um abraço e diz que me ama, o peso das coisas diminuem bastante...

Eu já tenho a sorte de um amor tranquilo sabe? e tenho um trabalho digno, mesmo não morrendo amores com ele. e tenho minha casa, minha tpm e amigos inigualáveis e insubstituíveis. mas se eu parar de reclamar, de querer mais, eu morro. então, deixa eu aproveitar pra pedir aos meus anjinhos uma paixão que me faça flutuar um tanto mais, porque desconfio que meus pés andam doendo mais é de estarem tão fincados no chão nos últimos tempos.

23 de fevereiro de 2010

TPM é um troço tão ruim, tão estranho, que faz o mundo de uma mulher virar de ponta cabeça total. da mulher só não, convenhamos. TPM mexe é com todo mundo que faz parte do mundo da mulher.

Eu estou de TPM. Daquelas brabas. Portanto os últimos dias tem sido um martírio à parte em minha vida. Some-se à isso o fato de ser final de mês, nenhum dinheiro no bolso, disposição zero para trabalhar e um sol desgraçado em minha cuca, porque meus caros, Alagoinhas ferve.

Portanto, até esse texto inteiro, só amanhã.

19 de fevereiro de 2010

A um coração de arestas.

Há vagas em meu coração.

Há brechas, estreitas frestas, há vácuos.

Há vagas nesse objeto pulsante, que vaga à espreita das brechas.


Há sentidos também neste meu coração sem flechas.

suspiros, gemidos, sentimentos lascivos..


Mas para preenchê-lo, querido, há técnicas.

16 de fevereiro de 2010

Por isso chame, chame, chame , chame gente!!!

Acho que não importa quantos anos eu tenha, o quanto eu viva: sempre vou chorar ouvindo Chame Gente... porque, "imagina só que loucura essa mistura"...

Lembro de uma episódio, eu e Carol no Auditório do Irdeb, não lembro que evento era exatamente, mas o Armandinho lá, indescritivelmente fantástico com sua guitarra baiana e começou a música... e eu tentei - eu sempre tento - mas as lágrimas vêm, inevitavelmente.

É uma emoção e como tal, tem os mistérios da inexplicabilidade, se é que já colocaram essa palavra nos dicionários - esquecem de colocar lá tantas - mas o fato é que "alguma coisa acontece no meu coração" quando ouço já os primeiros acordes desse hino.

Eu gosto de carnaval. Não gosto de sua atual configuração, mas eu gosto demais do carnaval. Hoje, o adro da casa de Jorge Amado que Caetano cantou lá no Haiti, são os camarotes com suas elites que não se misturam com os pretos, "dando porrada na nuca de malandros pretos e outros mulatos, só pra mostrar aos outros quase pretos - e são quase todos pretos - como é que pretos, pobres e mulatos são tratados".

E os trios independentes vêm pra nos lembrar o qe os novos baianos cantavam com mais fervor: "todo dia era dia de índio. Mas agora ele só tem o dia 19 de abril".

E tem as apelações tão desnecessárias: mulheres peladas em cima dos trios, com suas xerecas anunciando os produtos mais variados. Longe de mim a censura ao nu. Mas esse apelo barato só agrada os mela-cuecas de plantão.

E os blocos podem até colorir as ruas", como diz a DanielaMercury. Mas com suas cordas, elementos catalizadores da violência, tomam as ruas, espremendo o povo nas calçadas, dividindo as pipocas de fogão das pipocas de microondas.

É um auê o carnaval, porque "a pé ou de caminhão não pode faltar a fé"... E eu gosto muito do Fricote.

De tudo que mais gosto, o circuito Batatinha com seus bonecões, com o maracatu da Boiada Multicor, suas marchinhas. Eu sou a típica veinha com os dedinhos pra cima. E sou também a tiete do chiclete, da Ivete. "E a gente se completa, enchendo de alegria, a praça e o poeta".

15 de fevereiro de 2010

"A hora do sim é o descuido do não"

Arte é aquilo que a gente pratica pra dar um tantinho de sentido à vida, já que sentido mesmo nesta porra, não há.

Eu tenho meus rituais. Gosto de cantar, de ler e de escrever, sobretudo, já que a música e a palavra faze parte de meus seletos vícios que incluem ainda chocolates e ervas.

Posso também passar minutos olhando uma árvore. Plantas em geral me cativam, mas árvores são preferencia, com seus troncos e suas raízes, aquela coisa fálica brotando da terra...

Gosto de pintar também. Na verdade, gosto de lambuzar uma superfície qualquer com tinta, já que pintar mesmo eu não sei muito. E gosto de trabalhar. Puta que pariu. Essa parte é a que menos me agrada quando penso e é a que mais me gratifica, quando acaba.

Aí vc se pergunta: e desde quando trabalhar é arte, caralho?

Mas é.

Claro que dependendo do que vc faz pra pra pagar luz e água, a última coisa que vc quer é saber em que buraco está a arte daquio. ok.

Mas o fato é que a ou a gente dá sentido a essa viagem sem passagem marcada, ou se fode bonito. dispiroca total.

Conheço uns casos bem punks que não valem citação. Afinal é carnaval mesmo e burngundum não combina com tristeza. Prova disso é o povo que sai do interior pra vir acampar no campo grande durante os dias de folia, com suas latinhas e isopôs,pra ganhar uma mixariae á lá, rindo e acreditando em alguma coisa. Ou mesmo os milhares de cordeiros, que ganham um lanchinho e uma garrafinha de água pra separar joio do trig e debaixo de sol, chuva, socos e afins, segue sorrindo e feliz de "fazer parte da folia". Enfim, enfim.

Até esse domingo de carnaval, por exemplo, mais de 90 mil toneladas de latinhas já foram recolhidas pelos catadores. Ou seja: "Tem dias que eu fico pensando na vida e sinceramente nao vejo saída", como disse o Vinícius e o Manoel Carlos nos fez relembrar.

Descobri que a vida podia ter um pouco mais de sentido depois que Juan nasceu. Alí eu fiz arte de verdade: juntei dança, música, literatura e artes plásticas e criei uma pessoa. Pedaço de mim.

Depois disso, de oito anos pra cá, fui encontrando fé onde não havia nada. E alguns sentidos foram nascendo.

Nãosou uma cética absolutista. Muito pelo contrário. Estou sempre buscando brechas, acreditando. Lutando, princialmente, por esse acreditar. Mas as vezes...

Todo carnaval tem seu fim, como cantava o Los Hermanos. E tem de ser né, já que "nada renasce antes que se acabe". E os sentidos, talvez, estejam mesmo nesta ciclicidade da vida. Afinal, é o nascer e o pôr do sol que marcam os dias.

Façamos arte. Encontremos novos sentidos. E vamos repercutindo, externando as descobertas, dividindo, porque, "sei lá, só sei que é preciso paixão"...

14 de fevereiro de 2010

"Como este é um momento de finalizações necessárias, é bastante provável que coisas que não façam mais sentido simplesmente "morram"(...). Como você está vivendo um mini-ciclo de finalizações, estes dias são particularmente propícios para você dar uma geral em suas coisas e observar que aquilo que não tem mais utilidade pra você pode ser muito útil para outra pessoa. (...) É tempo de reciclar!", me gritou o Personare.
Eu disse que a andar notícias dos bastidores da folia momesca. Cara, não dá. Inda agora, quase meia da noite, fora de casa, nada pra ver na tv fora o carnaval, insônia braba, uma puta dor no pé e nadica de vontade de falar mais do babado. Cansadaçaaaa!!!!

Se a música do carnaval é o rebolation, a minha versão é o massacration. Total.

Amanhã é dia de madrugadano pelô. Boa sorte pra mim.
Ver a saída dos Filhos de Gandhy é sempre impagável.
Poder falar dessa emoção ao vivex, inda mió.

12 de fevereiro de 2010

Prontos para o grito de carnaval??

Salvem os pierrots e as colombinas!

Já estou aqui devidamente aportada em Salvacity para ajudar na transmissão do carnaval da Educadora FM! De hoje até terça, com direito a ressacão na quarta, voltando na quinta à Prefeitura de Alagodé.

Prometo boas notícias dos bastidores, sempre que rolar uma brechinha boa.

Muito beijo na boca e muita transa boa com camisinha!

11 de fevereiro de 2010

"O Deus que mora na proximidade do haver avencas"

Respondendo às minhas fiés leitoras:

Milena, realmente não parece a Isa Lorena, mas é. Cheia de nuances, de altos e baixos, beeeeeeeeem humana sabe? "Não sou proveito, sou pura fama". è bem por aí! rsrs

E sim, eu concordo com vc Claudinha: isso parece um prenúncio de uma grande mudança. Mas poxa... precisa doer tanto pra sair da casca gente?


O concreto é que nos últimos dois anos eu tenho feito as escolhas mais difíceis, mas acreditem: não é só vocação de sofrer. É que acredito mesmo que nem sempre o caminho mais curto é o mais gostoso. Eu prefiro a Orla do que a Paralela...

Me desanima muito também ver o meu empenho em defender a todos a minha volta e nada de cuidar de mim. Isso é péssimo. E eu não consigo mudar e não vou dizer que tento e tal. Não é verdade. me falta uma força de vontade tremenda de cuidar de mim... Daí que vou me acabando, envelhecendo antes da hora. Não quero ser inteligente e feia. Quero ser a mulher poderosa e gostosa que sempre desejei ser.

É né.. que desabafo. Mas vai que é bom.
"Se eu sou algo inciompreensível, meu deus é mais". Mas isso é papo pra depois.

9 de fevereiro de 2010

Saudade de mim

Estou naquela de não enxergar sentido nas coisas. Claro que eles existem e estão brincando de esconde-esconde comigo. Mas ando mais cansada que feliz, mais desanimada do que otimista e com medo de dar tudo errado, com medo de não conseguir resolver tanto problema. Vontade de dormir e não acordar mais. Eis a questão.

8 de fevereiro de 2010

Turma da Isa

- Mainha, eu já tô na idade de receber mesada né?
- Ahn?
- Cebolinha, mônica recebem. e eles têm 6 anos. Eu já tenho 8 né mãe?
- ...

Mas que deu vontade de responder que eu não era o Maurício de Souza, isso deu...

Nem título tem.

Caralho, não vejo a hora de consertar/comprar/ganhar um computador! Tanta coisa que penso em escrever no final de semana e quando chega segunda eu simplesmente já esqueci! Mas tudo bem, não vou surtar.

Continuo escrevendo muito no papel. Escrevendo e formulando o meu pós morte, quando invadirão minha casa e encontrarão uma cacetada de papéis e lançarão um livro e etc etc etc. Essas coisas.

Meu final de semana foi súper proveitoso apesar da raiva que passei no domingo com o motorista que não apareceu, melando meu plantão. Claro, quando a gente não trabalha nos fins de semana fica feliz, é o óbvio. Mas não quando se está no interior e seu programa de domingo é zona rural com Juan, uma câmera na mão e muita ideia na cabeça...

Quinta já é caranval. Pra mim é trampo o dia inteiro e de noite Salvador. Na sexta já começo a cobrir pra Educadora. Até... terça. A dor de cabeça agora é deixar a casa aqui sozinha durante esses dias. Medo mesmo de alguém levar a geladeira que só termino de pagar daqui a oito meses. Pois é.

Eu vou lembrar o que eu queria dizer. Aí eu volto.

4 de fevereiro de 2010

"Gosto de ser e de estar"


O tempo segue e a gente pensa que conhece as pessoas, pensa que sabe até onde cada uma pode chegar. Mas não sabemos. Não sabemos mesmo. Porque nós, humanos, somos antes criaturas, bichos.


No ambiente de trabalho, não esperamos encontrar amigos. Eis um ensinamento passado a mim pelo meu pai e que, confesso, só fui aprendendo pouco a pouco, utópica que sou. Foi pelo meu otimismo demasiado e pela minha intolerância envergonhada que aprendi, pelos cantos que passei que não dá pra esperar o melhor das pessoas que dividem cadeiras e computadores – ou volantes, ou vassouras, enfim; é preciso esperar delas o pior mesmo e se felicitar quando as coisas boas vêm.

Eu sei lidar pouco com pessoas diretamente, no dia-a-dia. Por isso não casei de novo, por isso desejo tanto chegar o dia em que possa trabalhar em casa, por isso não entendo quando alguém me indica uma graduação em Gestão de Pessoas. Tenho aspectos de líder, gosto de estar à frente, mas ainda sou pouco tolerante. E pra piorar o babado, não suporto injustiça, crueldade, falta de solidariedade e falta de caráter. Ok, eu devia me matar né? rsrs

Gosto de ser jornalista e trabalho em assessoria pra ganhar dinheiro. Explícito assim. E como gosto de ganhar dinheiro, busco trabalhar com excelência. Sou apreciada e solicitada e cada vez mais respeitada em minha área. Mas não gosto de lidar com gente. E continuo não aceitando falta de comprometimento e desleixo, continuo não aceitando desagregadores e medíocres. Sonho em formar uma equipe de peso pra salvar o mundo ainda e já tenho uns três ou quatro nomes muito bons em minha lista.

E pra quem acredita ainda que se passa incólume por qualquer estrada, meus pêsames. Sejamos bons no que fazemos, sejamos criteriosos, trabalhemos com esmero, minha gente. Competência é um troço que se conquista com tempo e experiência, mas vem moldada de berço, assim como os princípios de justiça e capricho em tudo o que fazemos. Foda-se a caretice de não ser careta. Cada coisa tem sua hora e lugar. E tudo é relativo, bem dizia Einstein.

2 de fevereiro de 2010

Larari, larara....



Como bem perguntava o Chico, "o que será que andam suspirando pelas alcovas?"

***

Dia 2 de fevereiro, dia de festa no mar. Que mar?

Daqui de Alagoinhas, mando minhas saudações à mãe das águas salgadas e lembro a todos a importância de preservarmos a mamãe natureza, que anda cansada de trabalhar; tanto, tanto, que tem preferido varrer do mapa muita gente do que ficar limpando sujeira de pouquinho em pouquinho.

Observem: também lastimo pelas grandes catástrofes mundiais. Mas que as vezes até eu tenho vontade de jogar uma bombinha aqui, outra alí, ah, isso eu tenho. Começaria em Brasília, por exemplo.

***

Terminando os últimos ajustes do chá de casa nova. Tomara que eu ganhe um monte de coisinhas bonitinhas, coloridinhas e criativas.

Tira o pé do chão!

1 de fevereiro de 2010

Caetanear

"Cantar é mais do que lembrar
É mais do que ter tido aquilo então
Mais do que viver do que sonhar
É ter o coração daquilo"

Psicodelia.

Há caroços de milho virando pipoca na minha cabeça.
Cada dia um novo sol e uma nova simetria.
Amo as minhas imperfeições mais e mais.

***

Tô pensando em me jogar numa pós. Tenho sérias dúvidas sobre entrar ou não agora na UFBA como aluna especial. Achoq ue tá cedo as vezes, depois acho que pode ser e desse talvez eu nunca saio. Mas uma hora vinga, como tudo em minha vida.

Ando mais entendida sobre minhas funções. Conseguindo separar o técnico do político de uma maneira mais cautelosa, me afastando do segundo com passos mais firmes, potencializando-me no primeiro de forma mais enfática.

Minha madrugada foi insone e transcedente. A cada clarão, os pingos da chuva reluziam em minha janela. Trovões, relâmpagos e um escuro assustador. Pelo menos Juan estava lá, mesmo no décimo sono, pra me dar a mão. Dormi agarrada nele, espantando medos.

E falando na figura, ele criou um novo verbo: inovecer.
Sinônimo de rejuvenecer.
Ele é incrível.

É fato.

"Há momentos em que a atitude mais sedutora é aquela que não prima pela docilidade, mas que se compromete com a verdade. É quando sabemos que não estamos sendo simpáticos, mas estamos sendo honestos"