19 de fevereiro de 2010

A um coração de arestas.

Há vagas em meu coração.

Há brechas, estreitas frestas, há vácuos.

Há vagas nesse objeto pulsante, que vaga à espreita das brechas.


Há sentidos também neste meu coração sem flechas.

suspiros, gemidos, sentimentos lascivos..


Mas para preenchê-lo, querido, há técnicas.

Um comentário:

  1. "Acontece que o meu coração ficou frio. e o nosso ninho de amor, está vazio..."

    ResponderExcluir

Abra a boca e mostra a língua!