13 de janeiro de 2010

Me empresta um gancho de puxar nuvens?

A vida é pontuada de saudades vazias e cheias. Cheias são as saudades fáceis de matar, vazias são aquelas já impossíveis de resolver. Vocês entenderam, não vamos abusar das lágrimas.


A vida é também feitas de ganchos lascivos, capazes de carregar de um canto a outros as coisas mais leves que há. Como nuvens numa tarde de calor. Coisas assim.


A vida é um viravolta de pontacabeça sem pé, sem mão, sem destino certo. A vida é um conquistar constante de ações. Um joguinho de xadrez com mais de dois cavalos.


Permaneço querendo a sorte de um amor tranqüilo. Mas tenho cá a certeza de que se ele chegasse agora, eu pedia mais cinco minutos.


Tenho um medo escroto de perder o ar. Um dia passa. Como tudo na vida...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra a boca e mostra a língua!