14 de julho de 2010

Todos os dias o seu boa noite. Respeitando minhas horas tardias, minhas madrugadas insones e meus baseados, ele liga sempre pertinho da meia noite e depois de falarmos sobre o mundo, sobre nós, sobre tudo que alí cabe, me pede que sonhe com ele.  
 
Eu acordo pensando em seu beijo. e reforço seu cheiro na camisa que esqueceu na cadeira. Faço a comida do dia, tomo meu chá, escovo os dentes e sinto sua presença. Mais de 100 km separam nossos corpos, coisa pouca na verdade pra quem se desencontrou a vida inteira. 
Que saudade que toma agora. Que troço intenso da zorra, esse gostar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra a boca e mostra a língua!