26 de outubro de 2009

Enquanto isso, na sala de justiça...

Foram três dias muito intensos. E a despedida de domingo não foi nada fácil. lágrimas controladas com risos provocados, aqueles olhinhos de mar me pedindo pra ficar... Saí de casa tarde, quase perco o último ônibus na rodoviária. Saí com o coração tão apertado que refletiu na cabeça, com uma dor súper chata que me acompanhou a viagem inteira. Deixei as lágrimas para o escuro do ônibus. E pensei forte no quão necessária é esta distância pra nós dois, no que isso nos trará de aprendizado, de crescimento material e espiritual também.

Já em casa, organizando a semana, senti como é incrível ter hoje essa raiz. São oito anos de não me saber só. são oito anos de mudanças profundas, em minha concepção de vida, de caminho, de destino, de fazer. Juan é o meu alicerce e não há vida sem ele. Uma constatação bastante ambígua, sem dúvidas...

Tomara que essa semana passe rapidinho como a outra. Há muito a ser feito aqui e a cada dia tenho mais certeza de que quero ficar. tenho pensado muito também em como as coisas acontecem para mim, quando as desejo muito e intensamente. Andei relendo alguns escritos desse ano e encontrei palavras de março que dizam da vontade de deixar um pouco Salvador. Nelas eu pedia para viajar um mês que fosse e ficar longe de tudo. De tudo mesmo, até mesmo de Juan. Porque precisava repensar muitas coisas, colocar outras tantas no lugar, espairecer sobre a minha vida e o que dela tenho feito.

Outras palavras pediam um novo emprego, um salário mais justo, novos desafios. Havia outros desejos e quase todos chegaram. Alguns de caroça, outros à galope, como tem mesmo de ser. Num cômputo geral as coisas estão melhores do que antes e as esperanças aquecidas. Momento bom para seguir em frente sem olhar muito pra trás, sem pensar demais no que ficou. O horizonte é vasto e meus olhos estão ávidos.

Para mim essa semana acaba na quinta. Na segunda, feriado. Na terça, aniversário do pimpolho.
Então são 5 dias de boresta em Salvacity. Beleuza de creuza!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra a boca e mostra a língua!