21 de outubro de 2009

"E a gente vai levando, que também sem a cachaça, ninguém segura esse rojão"

Mais calma hoje depois de sentar e fazer e refazer as contas para esses dois meses. Ontem fui fazer o mercado do mês e meu papel saiu tão rabiscado que nem eu entendia mais depois tantos números! No fim das contas não só consegui gastar menos do que o previsto, como também me dei de presente uma garrafa de vinho, que devorei metade na mesma noite com uma pizza.

Como a mudança de casa ficou pra depois, continuo dividindo teto, agora com três rapazes. Rapazes obviamente é modo de dizer, já que falo de um de cinqüenta, um de quarenta e um de trinta. Cada um com seus quebrados. Mas depois que sentamos e organizamos as tarefas o babado ficou mais tranqüilo e como sou a mocinha casa, tratamento de princesa é o mínimo, of course.

Hoje consegui me atrasar menos. De Santa Terezinha para a Prefeirura são dez minutos de caminhada. Mas debaixo de um sol de rachar cuca um mototaxi é muito bem vindo. Por isso nas continhas do mês já entraram os dois reais diários, já que na volta é mais tranqüilo e sempre tem carona.

Até o final do ano vai ser inaugurado um supermercado pertinho de casa, o que vai facilitar bastante as coisas, além de ser da Rede Bompreço, concorrência necessária para o monopólio do G Barbosa da cidade.

A boa notícia dessa quarta é que mal cheguei e já fui convidada para fazer parte do conselho de cultura! Ainda não me interei direito da coisa, já que recebi a pouco o telefonema e preciso de mais informações sobre o que e como. Outra boa notícia – aliás, essa é A notícia do dia -, é que o ponto facultativo do dia do servidor será transferido para dia 30. Isso significa que ficarei juntinho de Juan da sexta à terça. Dia 3, quando ele completa seus 8 aninhos. Com a notícia sobre minha falta de grana, não poderei esse ano comemorar grandiosamente seu aniversário... Mas quero armar uma festinha em casa, mesmo assim, no dia 7. Preparem os guris, portanto. Farei em casa mesmo, lá no Flamengo, um rasga saco, cachorro quente, brigadeiro... Essas coisas pequeninas que não podem faltar. Ai os meninos se esguelam de brincar e fica tudo lindo. Salve a inteligência materna, voilá!

Tenho andado bastante ocupada pra não deixar a saudade invadir rasgante. Mas na hora em que deito na cama e tento fechar os olhos, quase sempre uma lágrima boba vem fazer limpeza na íris. Ontem o vinho ajudou a minimizar esse tempo, mas nem pensar fazer isso todo dia. Alcoolismo não é brinquedo que a gente se arrisque em experimentar. Aos poucos eu sei que isso vai se amenizando e sinto que o tempo vai voar e em breve estarei sentindo o cheirinho de Juan todos os dias, ininterruptamente.

O momento agora é de sabedoria para economizar. Hoje já é quarta e amanhã é dia de surpresa para o meu amor. Vou chegar de fininho, na pontinha dos pés e agarrar o meu trocinho até ele pedir penico. Que esse sol descanse o hoje e me traga o amanhã. Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Abra a boca e mostra a língua!