18 de março de 2010

Fechando o verão.

Em março, quando completo dezembros, há em mim muitas e diversas descobertas. Elas chegam evasivas, desconectadas... e aos poucos vão se concretizando, tomando forma e sentidos.

É sempre assim.

O meu período de “inferno astral” é sempre maiúsculo. Nele me redescubro, me reinicio, me atormento.

Às vésperas de completar meus 28 outonos, esse grande ciclo a se fechar, ando deveras assustada comigo. Amanheço no meio da tarde, povoada de desejos desconhecidos antes do meio dia. Sou várias num mesmo dia. Uma cacetada de isas e lorenas a pirinlimpar em meus ouvidos.

Haja cérebro para tanta idéia, putaqpariu.

2 comentários:

  1. Aproveite esse momento de tantas "Isas" para nos presentear.

    ResponderExcluir
  2. É mesmo sempre assim cmg também. Um por dentro do outro. Sempre.

    ResponderExcluir

Abra a boca e mostra a língua!