21 de maio de 2010

Adeus a Damário da Cruz..

Quando morre um poeta, morre em mim um poema. E quando eu choro por eles, eu também choro por mim. Um bom poema leva anos, como dizia o Leminski. O Damário nos deixou repousar em suas palavras, nos ensinou a ser pássaros, livres. “A vida vale menos que um poema”, ele disse, antes de partir. E isso faz cada vez mais e mais sentido...

Um comentário:

Abra a boca e mostra a língua!